10 Mandamentos da Hipertensão

0
70

A pressão alta atinge cerca de 30% da população brasileira, mas apenas 10% dos hipertensos faz o controle adequado da doença, segundo o Ministério da Saúde. Por muitas vezes ser silenciosa, ela é perigosa e responsável por grande parte das mortes por AVC, infarto e insuficiência renal e cardíaca. Esse número alarmante merece destaque e atenção especial.

O mês de abril é o mês de prevenção e combate à hipertensão. Junto com os especialistas da campanha Coração Alerta, idealizada pela Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista, preparamos os 10 Mandamentos da Hipertensão a fim de esclarecer e alertar os riscos da doença.

 1 – NÃO SEJA SEDENTÁRIO: A prática de exercício físico, principalmente aeróbico, regularmente é extremamente benéfica para a saúde. Após uma atividade aeróbica, ocorre a dilatação e relaxamento dos vasos sanguíneos, normalmente contraídos ou estreitados nos hipertensos. Com a repetição da atividade a cada dia, há uma redução da pressão arterial por uma manutenção cada vez mais duradoura da vasodilatação.  Além isso, o exercício leva a perda de peso que contribui significativamente para a redução da pressão arterial. Nos casos dos diabéticos, ocorre a redução das taxas de glicemia ajudando a saúde cardiovascular.  A orientação e acompanhamento por profissionais é recomendada para maior segurança e melhores resultados.

2 – REDUZA O CONSUMO DE SAL: Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a quantidade máxima de sal recomendada por dia é de uma colher de chá, o equivalente a 5g, para pessoas saudáveis. O brasileiro, em média, consome o dobro disso. Uma das alternativas pra fugir do sal dentro da cozinha é preparar os alimentos com temperos naturais livres de sódio, como ervas finas, orégano, alho, pimenta e mostarda em pó. Evitar congelados e jamais deixar o saleiro na mesa.

3 – CONTROLE SUA PRESSÃO ARTERIAL E O COLESTEROL: Ao aferir a pressão, tenha em mente que o valor considerado normal é de 120/80mmHg. Se estiver acima de 135/85mmHg é considerada alta. O ideal é que a pressão seja medida em situação de repouso, com a pessoa sentada e descansada, pois os valores da pressão podem se alterar em situações de atividade física e estresse por exemplo. É importante saber que o diagnóstico da hipertensão depende do ato de medir a pressão. Muito simples, entretanto deve ser feito da maneira correta.

4 – MANTENHA O PESO IDEAL: Segundo o Ministério da Saúde, 70% dos homens e 61% das mulheres que convivem com a hipertensão são obesos, ou seja, tem um IMC acima de 30kg/m². Essa relação perigosa acontece porque com o aumento de peso, aumenta também a produção de insulina plasmática. Esse hormônio favorece a absorção de sódio pelos rins, aumenta a atividade vascular e o volume sanguíneo. Dessa maneira o resultado é um maior volume de sangue em vasos sanguíneos mais estreitos o que leva a um aumento da resistência ao trabalho do coração e consequente elevação da pressão arterial.

5 – NÃO FUME: O vício também está relacionado a problemas cardiovasculares e ao aumento considerável da pressão. O fumo pode piorar a constrição dos vasos, quando elevada na hipertensão, piora seus níveis pressóricos. Além disso, potencializa a chance do hipertenso ter um infarto.

6 – REDUZA O CONSUMO DE ÁLCOOL: A ingestão de bebidas alcoólicas está entre os fatores primordiais e responsáveis pelo aumento das doenças crônicas não transmissíveis. Em relação à hipertensão, a ingestão de bebidas alcoólicas em excesso eleva a pressão arterial aumentando agudamente a chance de AVC ou infarto.

7 – MANTENHA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: Evite os alimentos industrializados e os embutidos, pois têm altas doses de sódio e gorduras. Sempre que puder faça uma escolha mais saudável e natural possível.  Verduras, legumes, cereais, oleaginosas, laticínios desnatados, azeites, óleos vegetais, peixes e carnes magras devem compor a alimentação. No supermercado, fique de olho nos rótulos e opte por alimentos com pouco teor de sódio.

8 – EVITE SITUAÇÕES DE ESTRESSE: É preciso desacelerar. O estresse e a ansiedade liberam hormônios que promovem aumento da frequência cardíaca, constrição dos vasos e elevação da pressão arterial.  Relaxamento, meditação e respiração são alternativas úteis para o controle do estresse e redução da pressão arterial.

9 – NUNCA PARE O TRATAMENTO: Nunca, em hipótese alguma, deixe de tomar a medicação indicada pelo seu médico. O tratamento deve ser contínuo e não pode ser interrompido por conta própria. Muitos pacientes não aderem ao tratamento por acreditar que por estar se sentindo bem, não seja mais necessário usar o medicamento todos os dias. O que é um grave erro. A maioria das emergências hipertensivas, incluindo o AVC e o infarto, ocorrem por parada da medicação.

10 – ENTENDA O SEU CORPO: Se conhecer e conhecer as reações do seu corpo em situações diversas é extremamente importante. Os sintomas da hipertensão na maioria das vezes passam despercebidos, são silenciosos. Mas fique atento caso tenha dor de cabeça na região da nuca, tontura, formigamentos, zumbidos, sensação de cansaço, visão turva ou com pontos cintilantes. Podem ser finais e sintomas de pressão alta. Medir e conhecer sua pressão são fundamentais. Visite o médico anualmente.  A prevenção é sempre a melhor maneira de manter a saúde em dia.

Fonte: SBHCI

Publicados:
BH Post – Belo Horizonte/MG – Hipertensão
Revista do Tatuapé – São Paulo/SP
Revista Cidade de Araraquara – Araraquara/SP

Deixar uma resposta